Amazon abre mais de 36 mil vagas de emprego em todo o mundo

2020-02-20 São no total 36.305 as vagas que a gigante de comércio eletrónico Amazon acaba de abrir no seu site de recrutamento. Serão preenchidas em todo o mundo, sendo o número mais elevado de oportunidades de trabalho que já lançou na Amazon.jobs pelo menos nos últimos 15 meses.

Os números mostram que a tecnológica está a acelerar fortemente as contratações em 2020, com a gigante a procurar cobrir o munto inteiro com a sua rede de comércio eletrónico e de serviços. Isto depois de ter, perto do ano novo, ter tentado contratar 32 mil pessoas. No final de janeiro, o número já era de 34,5 mil

As vagas a preencher situam-se em todos os pontos do mundo - pelo menos para 50 países - e para os empregos mais variados, desde pessoal para colaborar na logística dos armazéns até especialistas em machine learning. O desenvolvimento de software é a categoria que conta mais anúncios: 10,6 mil. A gigante quer trazer o máximo de talento em engenharia, uma vez que continua a automatizar processos, a otimizar a experiência do cliente e a projetar os desafios logísticos e da cadeia de fornecimentos mundial.

Os 20 principais países onde a Amazon está a contratar não mudaram muito no ano passado: o foco é nos talentos tecnológicos nos EUA e Índia, país onde está a investir mil milhões de dólares na digitalização das PME e onde pretende exportar mais de 10 mil milhões em produtos indianos até 2025.  Há ainda contratações para outras funções na Europa e Ásia.

A Amazon terminou o ano passado com 798 mil empregados, incluindo-se a tempo inteiro e em part-time. Só nos Estados Unidos empregava 500 mil pessoas.

Para ajudar empresas e produtores no combate ao coronavírus


Com cursos online, para universidades e programa Young Thinkers


Em parceria com o governo norte-americano e outras tecnológicas


Encorajando developers a criar novas soluções


Correção das vulnerabilidades só deverá acontecer em meados de abril


Plataforma tem já 44 milhões de utilizadores


Com aplicações maliciosas disfarçadas de jogos para criança


Pelo menos no primeiro trimestre do ano


Por causa da pandemia do coronavírus