CEO da Huawei está contra eventuais retaliações da China contra Apple

2019-05-31 O líder e fundador da Huawei acredita que a China não vai retaliar contra a Apple e rejeita ter roubado tecnologia aos EUA, depois das sanções imposta por Donald Trump, que ameaçam o futuro do grupo.  "Estamos à frente dos EUA. Se estivéssemos atrás, não haveria necessidade de Trump nos atacar tenazmente", afirmou Ren Zhengfei à Bloomberg Television.

Embora admitindo que as restrições da administração Trump sobre as exportações da Huawei vão afetar a liderança de dois anos que conseguiu construir sobre concorrentes como a Ericsson e a Nokia, referiu que o grupo planeia ou aumentar a sua própria oferta de chips ou encontrar alternativas para manter a sua vantagem no mercado de smartphones e na tecnologia 5G.

Na semana passada, Trump disse que a Huawei poderia ser incluída num acordo de comércio entre os EUA e China, despertando rumores de que a empresa estaria a ser usada como moeda de troca nas negociações.
Entretanto, a China estará pronta para usar os metais raros como arma na guerra comercial que está a travar com os Estados Unidos, assegura a Bloomberg, citando fontes próximas do Governo chinês. O objetivo é racionar as exportações dos metais para pressionar Donald Trump, tendo em conta que nestes metais os Estados Unidos são particularmente dependentes da China, que produz cerca de 80% dos metais raros do mundo e que são usados na produção de computadores, smartphones e veículos elétricos.

Isto depois de Pequim ter feito nos últimos dias várias ameaças aos Estados Unidos e às suas tecnológicas, crescendo a especulação em torno de medidas como barrar grandes empresas dos Estados Unidos nos seus próprios mercados. A Apple, por exemplo, poderá perder quase um terço do seu lucro se a China proibir os seus produtos.

Mas o líder da Huawei disse na entrevista ser contra qualquer ação contra a sua concorrente americana. "Primeiro, isso não vai acontecer. E, se acontecer, serei o primeiro a protestar", disse. Garantiu ainda que a Huawei tem capacidade de criar as suas próprias soluções e que tem desenvolvido os próprios chips há anos, que agora usa em muitos dos seus smartphones. Está ainda a desenvolver o seu próprio software operacional para ser executado em telemóveis e servidores.

2019-09-20 | Atualidade Nacional

No âmbito da cooperação entre as duas entidades


2019-09-19 | Atualidade Nacional

NOS mantém a liderança deste mercado, com quota de 40,5%


Como preparação para a introdução e implementação rápida do 5G


2019-09-20 | Breves do Sector

Os primeiros depois do embargo dos EUA


2019-09-17 | Breves do Sector

Com reforço da liderança na inovação de bases de dados