França avança com atribuição de frequências 5G em sistema misto

2019-07-16 A França acaba de lançar oficialmente o processo de atribuição de frequências para a próxima geração móvel 5G. O processo, que deverá estar concluído no início de 2020, será misto, com um conjunto inicial de frequências a um preço fixo, seguido de um leilão para as restantes. O governo espera encaixar muitos milhares de euros de receitas. O mercado fala entre 3 e 5 mil milhões de euros.

O regulador francês, a Arcep, arrancou com o processo com uma consulta pública, que terminará a 4 de setembro. As frequências começarão a ser aolcadas poucas semanas depois, permitindo que tudo fique fechado no início de 2020, lançando-se as primeiras ofertas comerciais até final do ano.

O governo francês terá ainda de anunciar o preço a que vai vender as frequências, antecipando-se que possam render um valor significativo, sobretudo tendo em conta o valor conseguido pela Alemanha. O processo de leilão de três meses, que terminou em junho, permitiu em encaixe de 6,5 mil milhões de euros, bem acima do que estava previsto.

De acordo com o calendário apresentado pelo Arcep, cada operador deverá apresentar uma proposta para oferecer 5G em duas vilas francesas até final e 2020. A cobertura do país será progressiva, sendo a meta que cada operador tenha 12 mil sites de 5G até final de 2025, ou seja, uma cobertura de cerca de dois terços da população. Para as restantes zonas, terão a obrigação de apresentar um serviço equivalente, com um débito mínimo de 240 Mbps, de forma a que todo o território esteja coberto até 2030.

Já há operadores que começaram a implantar o 5G na Europa. O serviço já está disponível comercialmente para os utilizadores do Mónaco e de San Marino e está a começar a arrancar em algumas cidades da Suíça, Finlândia, Estónia e Reino Unido. À escala global, a Coreia do Sul anunciou no início de abril com a cobertura de todo o território através dos seus três operadores nacionais. Na China, a China Mobile anunciou quer oferecer o serviço este ano em 40 cidades. E a norte-americana Verizon temo serviço disponível desde abril em Minneapolis e Chicago. Um dos problemas é a falta de oferta de smartphones compatíveis com o 5G, já que são poucos os fabricantes que já vendem estes dispositivos.

2019-12-12 | Atualidade Nacional

Grupo assume compromisso de investir 500 milhões por ano


2019-12-12 | Atualidade Nacional

Demonstração para auxiliio às equipas médicas em situações de emergência


De acordo com as estimativas da Juniper Research


Project Captis pretende melhorar workflows


2019-12-12 | Breves do Sector

Para a transformação digital do teatro lírico português


2019-12-12 | Breves do Sector

Passando a integrar grupo de elite de fornecedores de soluções