Vodafone reduz dividendos em 40% para cortar dívida

2019-05-14 Depois de ter prometido que iria manter o nível de pagamento de dividendos, a Vodafone acaba de anunciar um corte em 40% no valor a pagar aos acionistas. Objetivo: reduzir o endividamento, fazer face aos elevados custos para preparar a construção da rede 5G e concluir a operação de compra da Liberty.

Assim, a remuneração passa a ser de 9 cêntimos por ação, bem abaixo dos 15,07 cêntimos do ano passado, caindo por terra o compromisso assumido em novembro pelo CEO do grupo, Nick Read, que tinha garantido a manutenção de um valor total de 4,1 mil milhões de euros de dividendos. Isto depois de ter iniciado um plano de redução de custos e que poderia vender as torres do grupo.

Este corte foi anunciado ainda na sequência da descida das receitas, com a operação a sofrer com a intensificação da concorrência em mercados como o italiano e o espanhol. No total, as receitas do grupo no exercício desceram 6,2%, para 43,7 mil milhões de euros, e os resultados operacionais foram negativos em 951 milhões de euros. Os prejuízos foram de 7,6 mil milhões de euros, quando no exercício anterior tinha lucrado 2,8 mil milhões, em consequência da reavaliação em baixa dos valores dos negócios da India e Espanha durante o ano.

Os custos com o 5G também pesaram, uma vez que os leilões de frequências em mercados-chave como Itália e Alemanha deverão atingir elevados valores, e as condições comerciais estão cada vez mais difíceis em Itália e na África do Sul.

“O espaço que a companhia tinha para manter o valor dos dividendos em novembro diminuiu nos últimos meses, quando a taxa de crescimento na Europa desceu e o custo do espectro necessário para o 5G aumentou. A decisão não foi tomada de ânimo leve", garantiu o líder da Vodafone.

O grupo tinha no final de março um endividamento de 27 mil milhões de euros e está agora num momento chave da sua transformação, com o corte de custos, venda de ativos não essenciais e o fecho do acordo de 18,4 mil milhões com a Liberty Global, salientou Nick Read. Acresce a elevada concorrência na Europa e o fraco crescimento dos players.

Segundo o Financial Times, esta foi a primeira vez em quase 2anos que a Vodafone reduziu o valor do dividendo a pagar aos acionistas. A Swisscom é a única empresa de telecomunicações europeia que nunca o fez.

2019-08-02 | Atualidade Nacional

Sentido provável de decisão segue agora para consulta pública


Há menor procura dos modelos topo de gama


2019-07-25 | Breves do Sector

Nas modalidades de carregamento e pagamento por fatura