Youtube altera regras para os anúncios

2018-01-17 A Youtube anunciou novas regras nos anúncios na sua plataforma. Para os novos canais, já não vai ser o número de visualizações a ditar que utilizadores podem passar a ter publicidade nos seus vídeos. Agora, é necessário ter mil subscritores e quatro mil horas de tempo de visualização ao longo de um ano para que os utilizadores possam passar a visualizar anúncios. A empresa garante que vai monitorizar de perto sinais como as advertências por violações das regras da comunidade, spam e outros abusos denunciados para garantir que os mesmos cumprem as suas políticas.

Anuncia ainda que os novos e os atuais canais do YouTube Partner Program serão automaticamente avaliados de acordo com estes critérios restritos. Caso seja encontrado um canal que repetidamente ou de forma flagrante viole as regras da comunidade, o mesmo será removido do programa.

Admitindo que “não há como negar que 2017 foi um ano difícil, com vários casos a afetarem a nossa comunidade e os nossos parceiros de publicidade”, a empresa quer “proteger os nossos utilizadores, anunciantes e criadores e garantir que o YouTube não é um local para ser usado por maus atores”.

Assim, ao mesmo tempo que deu “passos para proteger os anunciantes de conteúdos inapropriado”, considera que é preciso “fazer mais para garantir que os seus anúncios são exibidos junto de conteúdos que refletem os seus valores. Tal como dissemos em dezembro, precisamos de uma nova abordagem para a publicidade no YouTube”.

Previamente a esta decisão de alterar as regras, garante ter realizado “uma análise cuidadosa e conversações alargadas com anunciantes e criadores”.  Assim, se até agora os canais precisavam de atingir as 10 mil visualizações totais para serem elegíveis para o YouTube Partner Program (YPP), passa a ser considerado “simultaneamente o tamanho do canal, o envolvimento com a audiência e o comportamento do criador para determinar a elegibilidade para exibirem anúncios”.

Para os anunciantes, está a ser desenvolvido um sistema de três níveis que lhes permite avaliar o seu nível de conservadorismo, ou seja, até que ponto será necessário filtrar o tipo de conteúdos a que estão associados. E passam a bastar três advertências para que sejam removidas as contas e canais.

No comunicado, adianta-se que apesar das mudanças, os criadores que irão permanecer no Youtube Partner Program vão “ainda representar mais de 95% do alcance do Youtube para anunciantes”. A plataforma está também a trabalhar no Google Preferred, para que nas pesquisas e sugestões apareçam não só os conteúdos mais populares mas também aqueles que receberam maior escrutínio do público.

2018-08-09 | Atualidade Nacional

Sobre a oferta para acesso a postes


2018-08-07 | Atualidade Nacional

Regulador setorial propõe entregar ao Estado 33,6 milhões


Com criação de 700 mil postos de trabalho ao longo dos próximos 3 anos


No desenvolvimento de veículos inteligentes conectados


2018-08-02 | Breves do Sector

App NOS Kids disponível para Android e iOS e brevemente na web