Operadores lançam plano para minimizar impactos da COVID-19

2020-03-20 Tendo em conta o "momento crítico sem precedentes", a MEO, a NOS e a Vodafone, anunciaram ter unidos os seus esforços, apresentando ao Governo um plano para minimizar os impactos da pandemia em Portugal. Tem seis compromissos, com destaque para a manutenção da qualidade de serviço das redes de comunicações e a assegurar a capacidade necessária para funções críticas do Estado.

Em comunicado conjunto, os três operadores dizem ainda que vão promover a contenção da expansão do vírus, alertar para procedimentos antifraude, contribuir para o incentivo ao teletrabalho nas empresas e apoiar a comunidade. As medidas "estarão em vigor por tempo indeterminado e serão revistas e/ou ajustadas em função da evolução da situação".

Todas entendem que, no âmbito do atual estado de emergência decretado pelo Presidente da República, com as pessoas em casa, "as empresas de comunicações eletrónicas têm uma especial responsabilidade em garantir, na medida do possível, as condições de bom funcionamento dos serviços de comunicações, em particular a clientes e entidades críticas, bem como a proteção das operações em infraestruturas cruciais".

Assim, comprometem-se a assegurar a integridade e continuidade das suas redes e serviços, sendo esse o seu principal foco. "É fundamental para que os portugueses possam estar em casa permanentemente e, a partir de casa, possam trabalhar, aprender, manter contactos sociais e entreter-se, por um período cuja duração é ainda incerta", refere o comunicado, onde se explica que os operadores têm vindo a reforçar a capacidade das suas redes, de modo a orientar essa capacidade para a geografia onde os utilizadores passaram a estar, mais nas suas residências, e menos nos centros de escritórios e empresariais.

Garantem que as suas redes "já estão dimensionadas para suportar as horas de pico e também estão preparadas para responder a um acréscimo de tráfego, nomeadamente residencial". E salientam que "é essencial realizar uma utilização responsável da Internet e de acordo com as melhores práticas, de modo a prevenir eventuais congestionamentos das redes e a perturbação dos serviços de comunicações eletrónicas essenciais para as comunicações interpessoais (voz e SMS), para o ensino e trabalho à distância".

Vão também "assegurar que as funções críticas do Estado mantêm total conetividade, promovendo um reforço de rede onde ele seja mais necessário, e mantendo um diálogo próximo com o Governo, no sentido de em tempo real manter e reforçar essa conetividade dentro dos condicionalismos existentes".

Para promover a contenção da expansão do vírus, apostam na promoção do teletrabalho, com suspensão de toda a atividade comercial presencial, restrições aos horários dos pontos de atendimento ao público (aplicável apenas no caso de imposição legal dessa obrigatoriedade), maior racionalização da rede de lojas sujeitas à obrigatoriedade de abertura, rotação dos recursos de atendimento e promoção e comunicação de informações e recomendações, junto dos seus colaboradores e clientes.

Estão ainda alerta para quaisquer fraudes, deixando claro que nenhum dos operadores realizará visitas presenciais, de sua iniciativa, sem um pedido prévio de assistência por parte do cliente, e que as deslocações ao domicílio dos clientes apenas se realizam por motivos de falhas técnicas e avarias, sempre a pedido próprio do cliente, sendo que qualquer visita ao domicílio só acontece com agendamento prévio com o cliente.

Com o objetivo de promover o teletrabalho, os operadores adotaram desde a primeira hora os sistemas de VPN (redes privadas virtuais) para garantir o acesso remoto dos colaboradores aos sistemas das empresas, a utilização de sistemas de segurança de acesso remoto e a adoção de ferramentas colaborativas e de videoconferência.

Para incentivar o teletrabalho, todos oferecem por um período de 30 dias, 10GB de dados aos seus clientes particulares e empresariais de serviço telefónico móvel. E todos tomaram a decisão, para minorar as consequências do isolamento, em conjunto com a Sport TV, BTV e Eleven Sports, de não cobrar mensalidade aos clientes.

Têm ainda dado igualmente especial atenção à utilização da internet que viabilize soluções de ensino online e à distância.

2020-07-09 | Atualidade Nacional

Projeto desenvolvido em parceria pela APDC, IEFP e CCISP


2020-07-09 | Atualidade Nacional

Estudo sobre a adoção desta solução realizado pela Deloitte


2020-07-09 | Atualidade Nacional

Calendário da ANACOM prevê atribuição de frequências até fevereiro de 2021


2020-07-08 | Atualidade Nacional

Centro foca-se no serviço e apoio a clientes e parceiros na EMEAR


2020-07-07 | Atualidade Nacional

No âmbito do Plano de Ação para a Transição Digital


2020-07-07 | Atualidade Nacional

Presidente da APDC no webinar “A Step Into the Future”


2020-07-03 | Atualidade Nacional

Na sequência da sua integração no grupo que opera ao nível europeu


2020-07-02 | Atualidade Nacional

Regulador aprova vários projetos de decisão agora em consulta pública


2020-07-02 | Atualidade Nacional

Ficando responsável pela continuidade dos negócios


2020-07-02 | Atualidade Nacional

Comissão executiva percorre 20 municípios e 10 distritos