Prémios Gulbenkian 2019: candidaturas até 30 de abril

2019-04-25 Estão abertas até 30 de abril as candidaturas aos Prémios Gulbenkian 2019. Serão premiadas iniciativas que combatam a violência contra grupos vulneráveis (coesão), que apliquem tecnologias para a aprendizagem (conhecimento) e  que promovam a economia circular (sustentabilidade).  Além da distinção nos direitos humanos, este ano dedicadp ao reforço da democacia na era digital.

Estes Prémios Gulbenkian, atribuídos anualmente, dividem-se em: Prémio Calouste Gulbenkian, na categoria de Direitos Humanos, que em 2019 é dedicado ao reforço da democracia na era digital; e Prémios Gulbenkian, nas categorias de coesão – vertente violência contra grupos vulneráveis, conhecimento – vertente tecnologias para a aprendizagem,  e sustentabilidade – vertente economia circular.

O Prémio Calouste Gulbenkian na categoria de Direitos Humanos tem um valor de 100 mil euros e os Prémios Gulbenkian nas categorias de Coesão, Conhecimento e Sustentabilidade têm um valor de 50 mil euros cada.

Ao Prémio Calouste Gulbenkian Direitos Humanos podem candidatar-se pessoas singulares ou coletivas sem fins lucrativos que se tenham distinguido internacionalmente na defesa dos direitos humanos. As candidaturas devem ser submetidas em inglês. O ex-Presidente da República, Jorge Sampaio, será o presidente do júri, composto ainda por José Ramos-Horta (Prémio Nobel da Paz em 1996), Jody Williams (Prémio Nobel da Paz em 1997), Rui Vilar (Administrador não executivo da Fundação Gulbenkian), Demetrios G. Papademetriou (administrador do Migration Policy Institute (MPI), um think tank sedeado em Washington que se dedica exclusivamente ao estudo da migração internacional) e Leymah Gbowee (ativista liberiana pela paz e pelos direitos das mulheres).

Já nos Prémios Gulbenkian Coesão, Conhecimento e Sustentabilidade, podem candidatar-se pessoas singulares ou coletivas sem fins lucrativos que exerçam a sua atividade em Portugal, sendo as candidaturas submetidas em português ou inglês. O presidente do júri é António Feijó.

Desde 2006 que a Fundação Calouste Gulbenkian homenageia o seu Fundador, no dia 20 de julho (data da sua morte), através de um conjunto de cerimónias que culminam com a entrega dos Prémios Gulbenkian.

Em 2017, iniciou-se um novo ciclo destes Prémios, que se prolongará por cinco anos, nos quais se atribuirá anualmente o Prémio Calouste Gulbenkian, e três Prémios Gulbenkian nas áreas da Coesão, do Conhecimento.
CANDIDATURAS
 

2019-05-17 | Atualidade Nacional

Lucros do regulador sobem 21% e receitas 4%


2019-05-14 | Atualidade Nacional

Empresa aposta em software móvel para oferta de emprego junto dos médicos


Apesar de serem concorrentes em vários negócios


Reiterando posições já tomadas


2019-05-17 | Breves do Sector

Maior encontro profissional de transformação digital decorre em Madrid