Evento APDC

04.12
Outras iniciativas



APDC COM VODAFONE | DOT TOPICS

Podcast "Reforçar o ecossistema empreendedor"

Reforçar o ecossistema empreendedor nacional é o objetivo do Vodafone Power Lab. Há quase 15 anos que este programa apoia startups de base tecnológica, assumindo-se como um hub de inovação e de empreendedorismo digital, fornecendo múltiplos recursos aos inovadores portugueses e já apoiou até agora mais de 200 startups. Com as aprendizagens dos últimos anos, avança agora com algumas novidades, destacadas pela líder do programa no mais recente Dot Topics APDC, um episódio onde participou ainda uma das empresas apoiadas, a Follow Inspiration, que opera nas áreas de robótica, reconhecimento de imagem e IA.
No "fervilhante mundo do empreendedorismo português", como começou por referir Sandra Fazenda Almeida, Diretora Executiva da APDC e moderadora de mais este episódio dos Dot Topics, realizado em parceria com a Vodafone, o projeto Vodafone Power Lab assume um papel de relevo. ‘Nascido' em 2009, tem desempenhado "um papel crucial no apoio às startups  e na criação de oportunidades de negócio. Mas também no estabelecimento de parcerias e de colaborações", sumariza Filipa Pontes, Responsável pelo Vodafone Power Lab.
Todo o projeto está estruturado para ajudar as startups a crescer num mercado muito competitivo, através do acesso a "recursos valiosos, como o nosso programa de mentoria anual, o acesso a infraestruturas de pesquisa e desenvolvimento e, o mais importante, uma rede alargada de contactos", acrescenta a mesma responsável, que considera que se trata de "um reflexo da missão da Vodafone Portugal".
"Ao estarmos a apoiar startups tecnológicas e empreendedores, estamos também a apoiar o desenvolvimento de soluções que vão beneficiar empresas, todo o ecossistema onde  estão inseridas e a sociedade em geral. A nossa principal missão é trazer inovação de fora para dentro de casa, promovê-la e potenciar o progresso tecnológico, em Portugal e além-fronteiras", explica a líder do programa. Que deixa ainda claro que o resultado é conseguir que todo o ecossistema da Vodafone já está a tirar proveito disso, seja a empresa e os seus colaboradores, seja os parceiros, clientes e fornecedores.

GANHAR MUNDO EMPRESARIAL
Um dos projetos que está desde 2018 a ser desenvolvido no âmbito do Vodafone Power Lab é a Follow Inspiration. O seu CEO, Luís de Matos, começa por destacar que este projeto "é a prova de como o empreendedorismo feito dentro da universidade pode sair para o mundo empresarial. Tudo começou quanto estava a terminar a sua licenciatura em engenharia informática, na Universidade da Beira interior, e teve a ideia de terminar esta etapa a criar algo de útil. 
"Estando em cadeira de rodas, tentei fazer das fraquezas fortalezas, em pensar se seria um projeto profissional empresarial ou não. Queria apenas terminar aquela fase académica com um passo importante", acrescenta. Na altura, estava a florescer o ecossistema de empreendedorismo nacional e acabou por criar uma tecnologia que permitiu desenvolver um carrinho de compras autónomo para pessoas com mobilidade reduzida. Com ele, concorreu a muitos concursos de empreendedorismo, acabando por ganhar alguns. Em 2012, ano da criação oficial da empresa, a Microsoft considerou a tecnologia da Follow Inspiration com a terceira melhor a nível mundial. 
"E foi aí que tudo começou. Hoje, somos um produtor de robótica 100% português, com várias tipologias de robôs, sempre com a mesma dinâmica: termos robôs de interação com pessoas e robôs de transporte 100% autónomo", afirma o fundador do projeto. Mas, "sendo dificil para as startups conseguirem vencer a barreira do ‘ser pequeno', o que só é possível com uma interligação a grandes empresas nacionais", o projeto acabou por aderir ao Vodafone Power Lab, ‘casando' os interesses entre a sua expertise e o ecossistema empresarial da Vodafone para irem ao mercado em conjunto.
A primeira interação com a Vodafone passou pelo ‘robot consierge', um robot com a capacidade de receber as pessoas no âmbito dos eventos, dando informação e fazendo checking automático, por exemplo. Entretanto, o projeto evoluiu e está hoje totalmente direcionado para a indústria. "Temos robótica de transporte desde os 100 kg até às 3 toneladas, o típico empilhador que costumamos ver dentro o armazém, mas autónomo, feito em Portugal e com tecnologia nacional", comenta Luís de Matos.
O empreendedor salienta que a participação no Vodafone Power Lab teve um papel fundamental no projeto, desde logo porque implicou a adoção de novos processos internos necessários para ganhar maturidade e capacidade de interligação à componente empresarial, nomeadamente na preparação de propostas conjuntas para clientes. "Diria há um antes e um depois. No nosso caso, ensinaram-nos processos". 
Resultado, têm hoje clientes como a Volkswagen AutoEuropa, a Continental, a Delta ou a Sonae. O projeto está ainda centrado no mercado nacional, mas já começa a olhar mais além, até porque, como refere o seu fundador. "como produtor de robótica, e não há muitos internacionalmente, temos algumas valências interessantes.". Por isso, a diversificação de mercados será agora uma aposta em termos de futuro, sempre na área da indústria, onde já estão a ir mais além do transporte autónomo, estando a desenvolver picking automático e autónomo, ajudando as organizações a serem mais produtivas e flexíveis. 
Como diz Luís de Matos, "a nossa evolução de futuro passa sempre muito por abrir mais mercado e implementar a nossa tecnologia, mas estando sempre à procura de novas realidades dentro da área da automação e da robótica autónoma e inteligente. Para conseguir ir ao encontro não só de processos de trabalho mais produtivos, como abordando ainda os temas da responsabilidade social e do ambiente".

INSPIRAR PARA FAZER MAIS
São exemplos como estes que inspiram o Vodafone Power Lab a fazer cada vez mais. "Nestes anos, temos tido aqui o privilégio de fazer parte e de ter um papel muito ativo no ecossistema empreendedor em Portugal e de ver muitas startups a crescer", comenta Filipa Pontes, que refere que o programa já apoiou mais de 200 startups e, a um nível mais profundo, cerca de 60. Nestas, assumiu um papel muito ativo, seja no desenvolvimento de soluções, seja de visibilidade dos projetos, porque o objetivo é fazer com que "consigam construir um futuro sólido".
Muitas das soluções concebidas pelas startups do programa estão já a ser implementadas internamente pela Vodafone e pelos seus parceiros. É o caso do software de análise de localização da Mapidea.  O Vodafone Power Lab abrange um programa anual de mentoria e de apoio a startups tecnológicas, que conta com diversos benefícios e a alocação de mentores especializados. Disponibiliza ainda um espaço de co-working, dedicado aos projetos, onde as equipas podem trabalhar e o ‘Get in the Ring', uma grande competição anual para encontrar soluções tecnológicas inovadoras para desafios atuais. 
Entre as novidades introduzidas estão a realização, a partir de agora, no âmbito do programa de mentoria de dois cohorts - Fall e Spring- em cada edição, ao invés de apenas uma. O que implica uma duplicação do número de projetos, já que haverá em cada cohort 10 duplas de startups e mentores, que trabalharão em estreita colaboração ao longo de 12 semanas. Além disso, temos os advisers, que criámos no ano passado, que são pessoas mais c-level da Vodafone, como o board. E passamos nesta edição a ter advisers de parceiros Vodafone, que acabam por ajudar as starups, criando sinergias e colaborando e partilhando expertise.
A líder do projeto destaca que uma das formas de diferenciação face a outras iniciativas de aceleração assenta no facto das startups "terem acesso ao ecossistema global do grupo Vodafone. Estamos presentes em mais de 20 mercados e envolvemos diversas empresas. O que permite criar sinergias e colaborações estratégicas". Além disso, a figura dos advisers, criada em 2022, com pessoas mais c-level da Vodafone, como o board, passam a partir de agora a incluir parceiros Vodafone, potenciando a criação de sinergias, colaboração e partilha de expertise. 
Destaca ainda que as candidaturas superam sempre o número de vagas disponíveis, mas que as startups poderão voltar a ser selecionadas em edições futuras ou poderão mesmo voltar a concorrer, com novos desafios. É que, na sua perspetiva, integrar o Vodafone Power Lab "é ter um ambiente propício ao crescimento e ao sucesso. Ao estarem próximos da Vodafone, as startups estão próximos dos nossos clientes, fornecedores e colaboradores e de todo o footprint dos mais de 20 mercados onde estamos onde estamos inseridos". Depois, até onde uma startup pode ir dependerá também da sua visão, determinação e do que é que retira das vantagens dadas pelo programa. 

 

PODCAST (Spotify) | VIDEOCAST (YouTube)

 

Saiba mais em Vodafone Power Lab


Programa


Vai acontecer na APDC

2024-10-09

Artificial Inteligence - Realiza-se a 16 de outubro, em Lisboa