Ericsson: tráfego de dados móveis triplica em seis anos

2023-11-30

O consumo médio global de dados por smartphone continua a crescer, pelo que o tráfego total de dados móveis deverá triplicar entre o final de 2023 e o final de 2029. Tudo graças às melhorias nas capacidades dos dispositivos, a um aumento no conteúdo intensivo de dados e às evoluções contínuas no desempenho das redes implementadas. As previsões são do Ericsson Mobility Report.
Este relatório refere que até ao final de 2023 cerca de 20% das subscrições de serviços móveis a nível global sejam já de 5G, apesar dos contínuos desafios económicos e da instabilidade geopolítica em alguns mercados. No total, as subscrições de 5G deverão crescer 63% face ao ano passado, no equivalente a 610 milhões de novas subscrições 5G. O que totalizará um total global de 1,6 mil milhões, cerca de 100 milhões acima do antecipado.
Nesta 25ª edição do Mobility Report, que apresenta uma nova projeção temporal para as previsões estatísticas até 2029, confirmasse que os casos de uso mais comuns nos consumidores nas fases iniciais do 5G se baseiam no acesso móvel otimizado de banda larga, o acesso sem fio fixo wireless, gaming e os serviços baseados em AR/VR.
A nível regional, a adesão às subscrições de serviços móveis 5G na América do Norte continua a ser forte. Até ao final de 2023, espera-se que a região tenha a maior implementação de assinaturas 5G a nível global, atingindo os 61%. O crescimento das subscrições 5G também tem sido significativo na Índia. No final do ano (catorze meses após o seu lançamento comercial), espera-se que a implantação do 5G tenha ultrapassado os 11% na Índia.
Até 2029, estima-se que as subscrições globais de 5G aumentem em mais de 330%, passando para 5,3 mil milhões. A cobertura do 5G deverá estar disponível para mais de 45% da população mundial até ao final deste ano, fixando-se nos 85% até ao final de 2029. Prevê-se que a América do Norte e o Conselho de Cooperação do Golfo tenham as taxas regionais mais altas de implementação 5G até ao final de 2029, atingindo os 92%. A Europa Ocidental deverá surgir a seguir, com 85%.
"Com mais de 600 milhões de subscrições de 5G adicionadas globalmente este ano, e em contínuo crescimento em todas as regiões, é evidente uma forte procura por conectividade de alto desempenho. A expansão do 5G persiste, e observamos um número crescente de redes 5G autónomas a serem implementadas. Tal cria oportunidades para suportar novas e mais exigentes aplicações, tanto para consumidores, como para empresas, refere Fredrik Jejdling, Executive Vice President and Head of Networks da Ericsson.
"A taxa de crescimento de dados nas redes móveis reflete claramente a paixão dos consumidores por aplicações relacionadas com banda larga móvel de melhor qualidade. Esta tendência aumentará à medida que mais consumidores em todo o mundo adotem o 5G, e novos casos de uso surjam, desencadeando um maior crescimento no tráfego de dados. Como a maior parte do tráfego é gerada em ambientes fechados, onde as pessoas normalmente passam a maior parte do seu tempo, há uma crescente necessidade de expandir a cobertura do mid-band 5G, tanto em espaços interiores, como exteriores, para garantir uma experiência abrangente 5G em todos os locais", acrescenta Peter Jonsson, Executive Editor do Ericsson Mobility Report.
 


Todo o portefólio de soluções do grupo passará a ter a tecnologia


Gigante norte-americana apresenta resultados trimestrais a 21 de fevereiro


Para trazer maior escala ao mercado europeu


Para fornecer soluções integradas às organizações


Falta a adoção formal pelo Parlamento e pelo Conselho europeus


De acordo com o estudo “The Age of Adaptabiliy”


Threat Landscape Report, da S21sec


Antecipando um ano repleto de inovações para democratizar o acesso à tecnologia