Estudo IBM: empresas têm mais desafios para atrair e reter talento

2021-02-25 As mudanças voluntárias de carreira e o desenvolvimento de competências estão no centro das atenções no atual mercado de trabalho, mesmo depois da economia mundial ter registado em 2020 uma perda equivalente a 255 milhões de empregados a tempo inteiro. Por isso, as empresas poderão ter ainda mais desafios para reter e captar talento. A conclusão é de um novo estudo do IBM Institute for Business Value (IBV), que revela que um em cada quatro consumidores inquiridos está a planear mudar de emprego em 2021.

Este trabalho, que assentou em entrevistas a 14 mil adultos, revelou que muitos dos que fizeram mudanças na sua carreira em 2020, poderão estar novamente em mudança em 2021 por muitas das mesmas razões anteriores. Assim. Um em cada cinco trabalhadores inquiridos mudou de emprego de forma voluntária no ano passado e se considerarmos os entrevistados da geração Z (idades entre os 18 e os 24 anos) esse número sobie para 33%. Entre os Millenials entrevistados (idades entre os 25 e os 39 anos, a percentagem é de 25%.

Dos 28% de trabalhadores inquiridos que estão a planear mudar de emprego em 2021, a procura por um horário ou local de trabalho mais flexível, maiores benefícios e o apoio ao seu bem-estar, foram as principais razões apresentadas. Um em cada quatro trabalhadores inquiridos indicou que está a planear mudar de emprego em 2021.

"A pandemia da Covid-19 mudou significativamente as expetativas que os trabalhadores têm dos seus empregadores e os líderes têm de adotar uma abordagem mais empática e personalizada para atrair e reter talento, especialmente com os candidatos e colaboradores da Geração Z e Millennials. Isso pode incluir planos personalizados de aprendizagem e de desenvolvimento de carreiras dos colaboradores, a promoção de culturas inclusivas e flexíveis e a eliminação de preconceitos no recrutamento com a ajuda de tecnologias como a Inteligência Artificial", refere em comunicado Amy Wright, Managing Partner, IBM Talent & Transformation.

O equilíbrio entre a vida profissional e pessoal e a oportunidade de progressão de carreira estão no topo da lista das características que os consumidores inquiridos referiram como os que mais valorizam. Mais de 40% dos entrevistados mencionaram também a ética e os valores da sua entidade empregadora e 36% referiram oportunidades de aprendizagem contínua.

Um estudo de 2019 do IBV sobre o gap global de competências, mostrava que 45% das organizações inquiridas partilharam que não conseguiam encontrar as competências que precisavam. Contudo, este novo trabalho mostra maior confiança dos trabalhadores, com 87% a acreditar que já possui as competências necessárias para cumprir os objetivos do seu trabalho em 2021.

Mas, apesar desta confiança, a maioria dos trabalhadores pretende aumentar as suas competências no futuro. 58% dos inquiridos referiram que estão a planear fazer cursos de formação contínua este ano, na sua maioria online, em vez de presenciais. E 25% indicaram que os seus objetivos de requalificação e melhoria de competências para 2021 incluíam a inscrição num curso formal, certificação ou programa de badges digitais (badging).

Aproximadamente 30% dos inquiridos da Geração Z e 30% dos Millennials afirmaram que vão fazer um curso formal, certificação ou programa de badges digitais (badging), a maior percentagem quando comparado com inquiridos de outras gerações. Mais de 1 em cada 4 entrevistados da Geração Z mencionam que vão procurar uma oportunidade de aprendizagem ou estágio, também a maior percentagem quando comparado com outras gerações.

Para resolver o gap de competências em toda a economia e para desenvolver as competências fundamentais para o futuro, a IBM está a lançar o SkillsBuild, um programa de aprendizagem online, sem custos e acessível a todos, que capacita os candidatos a emprego com uma preparação em contexto real de trabalho e competências técnicas.

Os seus principais pontos diferenciadores incluem um vasto portefólio de cursos interativos em idiomas que incluem inglês, francês, alemão, japonês e espanhol, e a possibilidade de os candidatos utilizarem ferramentas de coaching pessoal, completarem projetos para a construção dos seus portefólios e receberem certificados que demonstram as suas competências a potenciais empregadores.

Os formandos que acedem à plataforma podem realizar uma autoavaliação dos interesses e aptidões profissionais, ajudando-os a identificar e seguirem um percurso de aprendizagem que se adeque às suas competências. Esse percurso irá abranger áreas como cibersegurança, analítica de dados, serviço a clientes, competências profissionais como colaboração e apresentação, e aspetos essenciais de uma candidatura a emprego, entre outras. Alguns dos parceiros de conteúdos da IBM incluem a Fortinet e a Red Hat.

"A pandemia, em conjunto com rápidos desenvolvimentos tecnológicos, está a mudar profundamente o local de trabalho. Ao mesmo tempo, as empresas estão cada vez mais a procurar ter nos seus quadros profissionais talentosos e diversificados. O SkillsBuild da IBM dá aos candidatos a profissionais um completo e atual conjunto de recursos gratuitos para os ajudar a construir carreiras relevantes de que se possam orgulhar", refere Justina Nixon-Saintil, IBM Vice President and Global Head Corporate Social Responsibility.


Gastos vão atingir os 12 mil milhões de dólares no final deste ano, antecipa a IDC


Na sequência da integração na Capgemini e para agregar engenharia e I&D


Durante a pandemia plataforma da Google já retirou 800 mil vídeos


Nova unidade vai definir códigos de conduta para as relações entre os players


De acordo com os dados mais recentes da Forbes


Pondo um final em todos os litígios que envolviam os dois grupos


Supreme Court considera que não houve violação da propriedade intelectual


Embora receie o impacto desta nova realidade na cultura de empresa