Facebook avança com processo contra concorrência europeia

2020-07-29 A gigante Facebook processou as instâncias europeias da concorrência, que acusa de pedirem muito mais informação do que a necessária, incluindo dados que são pessoais, quando está com processos de investigação da maior rede social do mundo. O grupo de Mark Zuckerberg tem estado desde o ano passado a ser investigado pela CE sobre a forma como gere os dados que obtém dos utilizadores das várias plataformas que detém (Facebook, Instagram e WhatsApp) e como gere o seu marketplace, onde cerca de 800 milhões de utilizadores em 70 países compram e vendem artigos.

De acordo com dados da gigante, desde o arranque das investigações que já entregou à CE cerca de 1,7 milhões de páginas de 315 mil documentos diferentes. Sendo que são "predominantemente irrelevantes" e nada têm a ver com as investigações em curso. Em causa estão "informações pessoais altamente sensíveis, como informações médicas dos funcionários, documentos financeiros pessoais e informações privadas sobre familiares de funcionários", como avançou em comunicado Timothy Lamb, conselheiro geral do Facebook, divulgado pela Reuters.

Além das duas investigações que interpôs contra a Comissão Europeia, o Facebook também está a tentar ativar algumas medidas provisórias no Tribunal Geral do Luxemburgo, para que o acesso aos dados seja suspenso, pelo menos até que haja uma decisão dos tribunais.
"Acreditamos que os pedidos em questão devem ser revistos pelos tribunais europeus", sublinha Timothy Lamb.


Garantindo o foco na inovação, IA e capacidades analíticas


Cellnex continua a crescer através de aquisições por toda a Europa


Qualcomm e Amazon estão entre os novos parceiros


Com a criação de um grupo de peritos para analisar esta área


Concorrente da Uber está prestes a entrar em bolsa