França começa a cobrar taxas digitais às big tech

2020-11-26 Gigantes mundiais como a Google, Facebook e Amazon vão começar a pagar taxas digitais no mercado francês. Já receberam mesmo a comunicação das autoridades francesas para o pagamento do valor correspondente a 2020. O pagamento de uma taxa de 3% sobre a receita de serviços digitais no país foi aprovado no ano passado, mas o governo francês suspendeu a decisão, à espera dos resultados da negociação mais ampla que estada em curso na OCDE. Sendo estas inconclusivas, vai mesmo avançar unilateralmente. A decisão faz prever uma guerra comercial com os Estados Unidos.

 "As empresas receberam a notificação de pagamento para este ano", confirmou em comunicado o ministro das Finanças francês. A Google, Facebook e Amazon estão entre as gigantes norte-americanas que terão de pagar esta taxa, que se aplica a empresas com uma receita global de mais de 750 milhões de euros.

Com Trump a sair da presidência americana em breve, esta será mais uma frente de batalha. Recorde-se que Washington abandonou as negociações da OCDE em junho e já  prometeu retaliar se a França avançar com o imposto, admitindo avançar com a imposição de tarifas sobre os produtos franceses no valor de 1,3 mil milhões de dólares.

Isso poderia colocar o novo governo dos Estados Unidos em uma posição difícil, já que busca lidar com a Covid-19 e as consequências econômicas da pandemia. O presidente eleito Joe Biden prometeu reconstruir relacionamentos com aliados importantes. Mas os democratas já se opuseram a esses impostos sobre serviços digitais, que eles alegam que visam injustamente as empresas americanas.

Entretanto, no início desta semana o ministro das finanças francês, Bruno Le Maire, disse que espera convencer Biden a envolver de novo os Estados Unidos no processo de negociação no âmbito da OCDE, para se chegar a um acordo global.  E deixou claro que o seu governo sempre disse que os impostos voltariam a vigorar em dezembro, se não fosse encontrado um acordo.

Até 2030 reduzirá em 50% as emissões por consumo de energia


Everything-as-a-service e conectividade ampliada são algumas


Estudo Tech Trends analisa tecnologias emergentes dos próximos 18 a 24 meses


Por cerca de 10 mil milhões de dólares


Europa defende que regulação digital cabe aos governos


Depois de assumir compromissos para com a privacidade com a CE


Para consolidar capacidades na transformação dos clientes