Google reduz colaboradores para cortar mais custos

2024-04-18

Com o objetivo de cortar ainda mais custos e de concentrar investimentos na IA, a Google vai voltar a cortar postos de trabalho. Não foram adiantados números de saídas nem as áreas que serão afetadas, mas a Business Insider adianta que a medida afetará sobretudo as equipas do setor financeiro e do mercado imobiliário.
Citando um porta-voz da tecnológica, a Reuters diz que os colaboradores afetados poderão candidatar-se a outras funções internas, sendo que uma pequena percentagem das funções afectadas será transferida para centros em que a gigante está a investir, incluindo a Índia, Chicago, Atlanta e Dublin.
"Ao longo do segundo semestre de 2023 e em 2024, várias de nossas equipas fizeram mudanças para se tornarem mais eficientes e trabalharem melhor, remover camadas e alinhar seus recursos às suas maiores prioridades de produto", acrescentou o porta-voz.
A diretora financeira da Google, Ruth Porat, enviou um e-mail aos funcionários a dizer que a reestruturação inclui a expansão do crescimento para Bangalore, Cidade do México e Dublin.
Já em janeiro, a Google tinha anunciado o corte de centenas de trabalhadores de várias equipas, incluindo engenharia, hardware e assistentes, à medida que está a aumentar o investimento nas suas ofertas de IA. E o seu CEO, Sundar Pichai, terá dito aos funcionários no início do ano que esperava mais cortes nos postos de trabalho. Já no início de 2023 a Google tinha anunciado um corte de 12 mil colaboradores. 


Para garantir que utilizadores separam factos da ficção


Para ampliar capacidade dos seus centros de dados


Fabricante de chips regista números recorde


Empresas ainda não estão a dar prioridade ao tema


De acordo com novo relatório da Salesforce


No âmbito do seu maior evento de tecnologia


Empresa revela dados do Wolf Security Threat Insights Report


Para acelerar ofertas aos clientes


Além dos projetos similares nos Países Baixos e Bélgica


Através de nova iniciativa “Value Generation”