Internet nas escolas dos países com baixa conetividade impulsiona PIB

2021-06-16 Os países com uma fraca conectividade de banda larga têm um potencial de crescimento que pode chegar aos 20% do PIB, caso desenvolvam uma ligação das suas escolas à internet. É que ter uma força laboral qualificada tem um maior potencial de criação e desenvolvimento de ideias inovadoras, o que motivará mais desenvolvimento económico e criação de trabalho. A conclusão é do mais recente relatório da Economist Intelligence Unit (EIU), patrocinado pela Ericsson, onde se demonstra que por cada 10%de aumento da conectividade escolar num país, o PIB per capita poderá crescer cerca de 1,1%.
Por exemplo, no contexto da Nigéria, país localizado na África Ocidental, o relatório revela que uma melhoria da conectividade escolar para o nível que regista na Finlândia pode levar a um aumento do PIB per capita em quase 20% - desde 550 dólares americanos por pessoa na base, até 660 dólares americanos, isto em 2025.
Denominado "Connecting Learners: Narrowing the Educational Divide", o relatório destaca quatro áreas-chave para uma colaboração entre múltiplos setores e introduzir mudanças. Assim, a colaboração é fundamental, sendo necessária uma estratégia de parceria holística público-privada para coordenar os esforços com as partes interessadas, no sentido de ultrapassar as barreiras à conectividade escolar. Na área da acessibilidade e viabilidade, é preciso construir uma infraestrutura que permita o acesso à Internet é um ponto de partida, mas a qualidade da ligação e o custo são igualmente fatores importantes.
Terá ainda que se incorporar a internet e as ferramentas digitais na educação: a partir do momento em que for obtida a conectividade nas escolas, terá que ser adotada pelos programas de ensino. Os professores devem receber formação a fim de integrarem a tecnologia no ensino diário.
A quarta área chave é proteger as crianças no online. A conectividade nas escolas proporciona oportunidades para as crianças, mas têm de ser dados passos adicionais para garantir ambientes de aprendizagem online saudáveis e seguros, pelo que a utilização da internet tem de ser devidamente gerida para assegurar uma utilização segura e fiável.
O relatório também recomenda que os líderes dos setores público, privado e das ONG desenvolvam um vasto esforço conjunto no sentido de mitigar as diferenças digitais, de forma a tornar a conectividade via Internet uma realidade global para as crianças de todas as idades.
A Ericsson está por isto a apelar a estes intervenientes que apoiem os esforços do Giga (uma iniciativa dedicada à conectividade escolar, fundada pela UNICEF e pela União Internacional das Telecomunicações) através de ações como: financiamento, partilha de dados, competência tecnológica e reestruturação de modelos de negócio sustentáveis associados à conectividade. A Ericsson encetou esforços numa parceria a três anos com a UNICEF, por forma a ajudar a mapear as lacunas de conectividade atuais das escolas em 35 países. O relatório reforça a convicção da Ericsson de que o objetivo ambicioso do Giga de até 2030 ligar todas as escolas e as respetivas comunidades envolventes é alcançável.
"Quando o Giga foi anunciado, compreendemos de imediato o impacto positivo que poderia criar, como atenuar a diferença digital entre e nos próprios países, para dar às crianças de todo o mundo a possibilidade de futuros brilhantes e recompensadores. O relatório deixa bem claro que a parceria entre líderes empresariais, líderes do setor público e ONG pode conduzir a ações concretas no sentido de lidar com este problema e influenciar vidas de forma significativa. Cada interveniente nestes setores, independentemente da sua dimensão, pode fazer a diferença. Incentivamos as partes interessadas a ler o relatório e, acima de tudo, a participar na iniciativa Giga, no sentido de ajudar a alcançar este importante objetivo", afirma Heather Johnson, Vice-Presidente para a Sustentabilidade e Responsabilidade Empresarial da Ericsson.
No trabalho, demonstra-se ainda de que forma a conectividade escolar pode levar a resultados educativos mais eficazes e a melhores oportunidades de carreira para as crianças, o que resultará numa superior atividade económica e num crescimento comunitário. Considera-se que estes benefícios a nível individual para as crianças terão um efeito de bola de neve, que conduzirão a rendimentos mais elevados, a melhores condições de saúde e uma melhoria do bem-estar geral.
Outros potenciais benefícios da conectividade escolar destacados pelo relatório incluem: aumentar a qualidade educativa; criar uma força laboral produtiva que fomente a inovação; criação de trabalho; desenvolvimento comunitário; e potenciar o desenvolvimento e crescimento económico.

Garantindo o foco na inovação, IA e capacidades analíticas


Cellnex continua a crescer através de aquisições por toda a Europa


Qualcomm e Amazon estão entre os novos parceiros


Com a criação de um grupo de peritos para analisar esta área


Concorrente da Uber está prestes a entrar em bolsa