Oracle e Tony Blair Institute incorporam cloud na gestão das vacinas em África

2020-11-26 A Oracle e o Tony Blair Institute for Global Change (TBI) aliaram-se para disponibilizar tecnologias cloud na gestão de programas de saúde pública em África. O Gana, o Ruanda e a Serra Leoa serão os primeiros países a usar o novo sistema de gestão de saúde Oracle Health Management System para criar registos eletrónicos de saúde para os programas de vacinação contra a febre amarela, o vírus do papiloma humano (HPV), a poliomielite, o sarampo e os programas de vacinação da COVID-19, assim que a vacina for distribuída em África.

Entretanto, o TBI e a Oracle estão em conversações com mais de 30 outros países em África, na Ásia, na Europa e na América do Norte, que estão a avaliar a possibilidade de usar o mesmo sistema cloud para gerirem os seus planos de vacinação contra a COVID-19.

"Desde fevereiro passado, que a União Africana e os seus Estados-Membros têm vindo a trabalhar incansavelmente para gerir o impacto da COVID-19 no continente africano. Com a continuação da pandemia da COVID-19, parcerias como a que forjamos com a Oracle, o TBI e vários governos, são essenciais para fortalecer as instituições de saúde pública dos Estados-Membros, não só para integrar tecnologias inovadoras, mas também para harmonizar de forma proativa e urgente a recolha e partilha de dados de testes valiosos em todo o continente", explica John Nkengasong, Diretor dos Centros Africanos de Controlo e Prevenção de Doenças.

O TBI fornece aconselhamento político e apoio prático a vários governos africanos que enfrentam os desafios complexos gerados pela COVID-19. Visando construir respostas a estes desafios, estabeleceu uma parceria com a Oracle através da qual é disponibilizada tecnologia cloud que permite digitalizar e unificar os dados nacionais de saúde, começando pela gestão dos programas de vacinas.

O sistema de gestão de saúde da Oracle cria um registo médico eletrónico numa base de dados na cloud para cada pessoa assim que esta é vacinada. Este sistema, altamente seguro, pode ser rapidamente configurado para interagir com a tecnologia existente em cada país e satisfazer os seus mais rigorosos requisitos a nível das regras em vigor sobre a soberania dos dados. Os países participantes beneficiarão gratuitamente durante dez anos do acesso ao sistema e do suporte ao mesmo.

"O Oracle Health Management System é atualmente utilizado pelo governo dos EUA e pelas grandes instituições de saúde e investigação para monitorizar os sintomas de pacientes com COVID-19, as respostas aos tratamentos e a seleção de voluntários para os ensaios clínicos das vacinas contra a COVID-19. o trabalharmos com o Tony Blair e a sua equipa, conseguimos disponibilizar exatamente esta mesma tecnologia cloud do século XXI no Gana, no Ruanda e na Serra Leoa no espaço de poucos meses. Esta é a primeira vez que os dados sobre a vacinação são armazenados numa base de dados cloud a nível nacional. A África está a liderar o caminho", refere em comunicado Larry Ellison, Chairman & CTO da Oracle.

O Gana está agora a usar este sistema para gerir o seu programa de vacinação contra a febre amarela, e também o irá usar para a COVID-19, assim que uma vacina estiver disponível. Já o Ruanda tem estado a preparar-se para utilizar o seu sistema de vacinação contra o HPV assim que as escolas secundárias reabrirem e, posteriormente, para a vacinação contra a COVID-19 e para gerir o futuro certificado de imunidade dos seus cidadãos. E a Serra Leoa prepara-se para utilizar este sistema para criar registos digitais de vacinas de rotina do seu Expanded Program on Immunization (EPI) assim que iniciar a sua próxima campanha. Este programa (EPI) é um projeto mundial de vacinação contra a poliomielite, a difteria, a tuberculose, a tosse convulsa, o sarampo e o tétano. O objetivo do programa é evitar que todos os anos morram dois a três milhões de crianças em todo o mundo em consequência destas doenças. O Expanded Program on Immunization da Serra Leoa abrange 95% das crianças afetadas neste país.

Até 2030 reduzirá em 50% as emissões por consumo de energia


Everything-as-a-service e conectividade ampliada são algumas


Estudo Tech Trends analisa tecnologias emergentes dos próximos 18 a 24 meses


Por cerca de 10 mil milhões de dólares


Europa defende que regulação digital cabe aos governos


Depois de assumir compromissos para com a privacidade com a CE


Para consolidar capacidades na transformação dos clientes