Portugal ganha duas posições no ranking da competitividade

2023-11-30

Portugal subiu dois lugares no ranking da competitividade face ao ano passado, situando-se agora na 36ª posição, entre uma lista de 64 países. A melhoria foi conseguida em rácios como "Formação e educação", onde o país passou de 36º para 34º lugar e "Concentração científica", de 27º para 26º na lista dos países. No "Rácio aluno/professor (ensino superior)", ocupa a 12ª posição e em "Licenciados em Ciências", a 16ª. Os dados são do IMD - Institute for Management Development.

Apesar destas boas notícias, o Ranking Mundial de Competitividade Digital do IMD revela que no fator "Conhecimento", o país recuou duas posições, registando-se ainda fraquezas na "Experiência internacional" e na "Formação dos trabalhadores".

Em 2022, Portugal tinha recuado quatro posições, para o 38º lugar, depois de em 2021 ter conseguido chegar à 34ª posição. Nas várias áreas analisadas, em "Tecnologia", apenas se verificaram melhorias no "Enquadramento tecnológico" (de 48º para 46º), enquanto no "Capital" (49º) e o "Enquadramento regulatório" (27º) se registaram recuos de uma e oito posições, respetivamente. Dentro destes indicadores, as "Políticas de imigração" (6º) e as "Tecnologias de comunicação" (8º) são as principais forças de Portugal, sendo a principal fraqueza os "Assinantes de banda larga móvel".

Este ranking apresenta também uma análise da "Preparação para o futuro", onde Portugal sube nove lugares no subfator "Atitudes de adaptação" (26º) e dois em "Agilidade empresarial" (58º), mantendo a 25ª posição em "Integração de TI".

Para além da posição no ranking global, a IMD indica também a posição portuguesa ao nível regional, num grupo composto por 41 países da Europa, Médio Oriente e África. Aqui, Portugal está em 24º lugar.

Este Ranking Mundial de Competitividade Digital 2023 analisou um total de 64 economias, incluindo, pela primeira vez, o Kuwait. A análise assenta em três fatores principais - "Conhecimento", "Tecnologia" e "Preparação para o futuro" - cada um dividido em nove subfatores, num total de 54 critérios quantificados através de dados concretos e respostas de executivos a um inquérito.

Na edição deste ano os Estados Unidos recuperam a liderança, depois de no ano passado a terem perdido primeira vez desde a criação do ranking, em 2017, ao serem ultrapassados pela Dinamarca. Este ano, voltaram à liderança, com "resultados robustos" nos três fatores. Já a Dinamarca teve uma queda significativa, para o 4º lugar, com um declínio nos fatores de "Preparação para o futuro" e "Tecnologia".

Os Países Baixos subiram quatro posições face a 2022 e estão este ano em segundo lugar, seguidos de Singapura, que conseguiu o 1º lugar em "Tecnologia". A Suíça, a economia mais bem classificada no fator "Conhecimento", manteve a mesma posição da edição anterior, completando o top 5.
 


2024-02-16 | Atualidade Nacional

Plataforma tecnológica é agora detida pelos sul-coreanos da Coupang


2024-02-15 | Atualidade Nacional

Tecnológica garante ter condições para executar a estratégia definida


2024-02-15 | Atualidade Nacional

Candidaturas para profissionais abertas até 30 de março


2024-02-15 | Atualidade Nacional

Decorre até ao dia 18, na India


2024-02-15 | Atualidade Nacional

Com adoção pioneira de novo equipamento da fabricante


2024-02-15 | Atualidade Nacional

Dados da MedUX mostram que Berlim lidera ranking da qualidade das redes


2024-02-15 | Atualidade Nacional

Mostram dados da Anacom para o 4º trimestre de 2023


2024-02-15 | Atualidade Nacional

Reforçando a aposta do grupo de software de gestão no mercado nacional


2024-02-15 | Atualidade Nacional

UE tem 252 milhões no total para infraestruturas assentes nesta tecnologia